28.8.09

E de repente...


Ela engravidou!
Assistindo ao Fantástico no último domingo achei um absurdo quando, no quadro A Liga das Mulheres, disseram que a menina engravidou de repente... Como assim? Um dia ela estava indo para a escola e DO NADA virou Maria e ficou grávida do espírito santo?!
Eu queria entender como uma pessoa, tendo fácil acesso a todo tipo de informação, tem a capacidade de cometer um erro desse.
Na época dos nossos avós a gravidez adolescente ocorria com muita frequência, pois as pessoas se casavam cedo, e sem o uso de preservativos as mulheres tinham seu primeiro filho até com 13 anos! E não pense que somos modernos... Na contemporneidade o quadro é quase o mesmo, a diferença é que ao invés da gravidez precoce ser resultado da inocência, como antigamente, é fruto da falta de vergonha na cara dessas meninas que perderam a noção devido a confusão de valores da sociedade a qual estamos inseridos.
A todo momento somos bombardeados com histórias de jovens que acabaram com suas vidas, tiveram que parar de estudar, sofreram preconceito e foram excluídas pelos amigos por esse erro. E sabe o que é pior? Fomos nós, mulheres, que tornamos coerente a banalização do sexo, devido a nossa vontade incessante de alcançar liberdade e igualdade. A partir dessa luta que travamos, acredito que pioramos a situação, pois destruímos a possibilidade remota de conseguir o tão almejado respeito. Fizemos com que a imagem da mulher dona de casa fosse substituída pela da mulher independente, aquela que os homens tem até medo de se aproximar, pois segurança demais assusta. Sem falar das músicas terríveis feitas as nossas custas... E nem adianta negar, você adora dançar aqueles ''funks'' mal feitos, usando palavras impróprias, que deveriam ser censuradas até para os idosos!
Nesse contexto, é preciso pensar 1.558 vezes antes de cogitar a possibilidade de gerar uma criança, já que esta estará sujeita a enfrentar um mundo ainda mais sujo. E, por incrível que pareça, não estou falando de meio ambiente, mas sim da poluição mental do ser humano. Você tem mesmo coragem de expor um ser inocente a isso?!


7 comentários:

  1. Virou maria e ficou gravida do espirito santo ... Quem sabe né? O pior que se faz de sonsa, mas fazer filho sabe, e ainda tem a maior cara de pau pra falar que tem que ter muita responsabilidade praa assumir a gravidez e não abortar a criança.
    Mas e a responsabilidade de usar preservativos aonde fica? E o pior sobra paara a criança que não tem nada haver com a irresponsabilidade dos pais.

    ResponderEliminar
  2. Me irrito TANTO com a falta de coerência no jornalismo brasileiro, que é melhor nem comentar, viu...
    Fala-se tanto de camisinha, pílula e blábláblá, que chega a ser INADMISSÍVEL uma pessoa que pelo jeito TEM estudo, TEM informação, engravidar assim, "de repente"!

    ResponderEliminar
  3. Lucilene31.8.09

    Meu Deus, Natália! Estou "passada"... No bom sentido , claro. Nossa, que orgulho! Estou até emocionada! Ainda não li tudo, mas não consegui esperar para escrever. De fato, agora acabei de crer como nós duas somos parecidas: você também usa - e muito bem! - as palavras como instrumento para externar o que sente e pensa; uma válvula de escape para aquelas questões que tanto nos indignam ou nos emocionam. Parabéns, minha querida! Não vou mentir: estou com uma inveja "branca" (sem maldade...). Quero um também!!!! Um grande beijo e até quarta! Lu

    ResponderEliminar
  4. Patrícia Fuza5.9.09

    Marcelo, concordo com você em gênero, número e grau...É complicado julgar os erros e acertos dos outros baseado em nossa própria formação. Além disso, na teoria tudo parece óbvio e perfeitamente claro, porém na prática nem sempre as coisas caminham como queremos. A verdade é que, a meu ver, a mulher continua dependente emocionalmente do homem e, por isso, ainda "romantiza" excessivamente os relacionamentos, acreditando que aquele será o príncipe que a resgatará de seu contexto de ingenuidade, desamor e até mesmo pobreza. Talvez a emancipação feminina não tenha ocorrido de maneira tão plena quanto se esperava...

    ResponderEliminar
  5. o que mais me deixa pasma é que todos têm acesso a informação,é rídiculo saber que ainda têm garotas que engravidam ¬¬' mas eu acho que o que falta mesmo é conversa em casa,ou seja,entre pais e filhos ! :x
    adorei o tema abordado natalia :D

    ResponderEliminar
  6. Legal o tema Naty. Só faria uma pequena observação. Na parque que fala para se pensar 1.558 vezes, acho que aumentaria para 15.580 vezes pelo menos, mas isso para quem é nova. Talvez até os 25 anos? Não sei ao certo.
    Em contrapartida, diminuiria para 15,58 vezes se a pessoa tiver mais de 25 (???) e já estiver conquistado os objetivos que considera importante para antes de um filho. Um beijão e parabéns pelo blog.

    ResponderEliminar
  7. Claro padrinho, muito bem colocado...O tema foi direcionado para meninas adolescentes, que nao alcançaram nada ainda além de, talvez, notas altas na escola, a fluência em inglês ou ainda a participação em campeonatos esportivos - como sempre, salvo excessões - Porém, no caso das mulheres, ou melhor, dos pais que já refletiram muito sobre o assunto, que, como voce mesmo disse, alcançaram seus objetivos, não creio que haja problema. Ainda assim, é necessário ressaltar que a criança sempre vêm com uma carga muito grande, com que os pais deverão lidar.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo

Sigo, leio e recomendo!