11.2.10

A humanidade é desumana...



Quando o sol bater

Na janela do seu quarto

Lembra e vê

Que o caminho é um só.

Porque esperar se podemos começar tudo de novo

Agora mesmo

A humanidade é desumana

Mas ainda temos chance

O sol nasce pra todos

Só não sabe quem não quer

Até bem pouco tempo atrás

Poderíamos mudar o mundo

Quem roubou nossa coragem?

Tudo é dor

E toda dor vem do desejo

De não sentirmos dor.

Legião Urbana.

-----------------------------------------------------------------------------------------------
Se você conseguiu entender a grandiosidade dessa letra, já é um pequeno passo. Particularmente, leio a poesia de Renato e percebo que há anos a sociedade, apesar de uma mudança aqui outra ali, continua a mesma. Ou, ele simplesmente tinha tamanha sensibilidade para enxergar mais além. O que não duvido por nenhum segundo.
Egocentrismo, essa é a palavra chave da contemporaneidade. Uma sociedade alienada perante ao mundo e a si mesma; uma juventude despreocupada com o futuro; um turbilhão de informações mal aproveitadas; e a violência que ganha mais espaço a cada dia.
Em meus momentos de reflexão, penso e não consigo entender porque chegamos a esse ponto ou ainda, porque deixamos chegar a esse ponto?!
O crescimento do nosso país foi lento, continua com a mesma lentidão e continuará da mesma forma ao que tudo indica. Economicamente e, talvez até, politicamente eu não tenha aptidão para discorrer ou criticar. Afinal, meu conhecimento de causa é um tanto precário. Contudo, há situações na vida em que não é necessário uma vasta compreensão para que consigamos enxergar as falhas. Começando pelo sistema geral de funcionamento social, já podemos ter uma base.
Analisemos então:

  • Os políticos que deveriam nos representar e zelar por uma melhora gradativa da condição de vida, corrompem-se no instante em que assumem o posto do poder; roubam o dinheiro público sem pudor, das maneiras mais esdrúxulas possíveis; desrespeitam o eleitor que lhe confiou seus direitos. Este, não os reivindica, por medo ou por pura comodidade. Dança conforme a música e permite o desleixo dos primeiros.
  • A educação brasileira, comparada a de outros países com maior desenvoltura, deixa a desejar. A maior parte dos alunos não compreende o valor do conhecimento, posicionando-se de maneira confortável diante de suas obrigações. Os mesmos, perderam a noção de tempo e espaço, abolindo quase que completamente o respeito pelos profissionais e colegas que lhes rodeiam. Passam de ano como quem passa de um lado para o outro da rua; levam o período acadêmico na brincadeira, esquecendo-se das possíveis consequências. E esses são os médicos, advogados, vereadores, jornalistas etc, que estamos criando.
  • Qualidade na área da saúde e boa alimentação são privilégios dos mais abonados. Os cidadãos desprovidos de um alto padrão social sofrem com a precariedade de ambos. A população morre, cada dia mais, pela escassez de alimentos básicos, e até mesmo por falta de pronto-atendimento em casos graves ou urgentes de saúde. Infelizmente não há distinção, essa situação ocorre em todas as faixas etárias, destruindo famílias e sonhos.

Considerando as informações acima, as tragédias que tem ocorrido com certa frequência e a instabilidade ambiental que está nos pegando em nossas próprias armadilhas, é impossível não se sensibilizar ou se indignar com a falta de mobilização e comprometimento do ser humano com a vida.

Não permita que a variação constante de valores, conceitos, princípios e padrões faça de você uma pessoa insensível e mais alienada. Certifique-se de que está fazendo a sua parte, na medida da sua realidade como indivíduo. Comprometa-se consigo mesmo e incentive quem está em seu convívio para que também entre nessa luta incessante por solidariedade.

13 comentários:

  1. Em primeiríssimo lugar... Como diria Raul, o poder é um vírus anal.
    Não podia deixar de dizer isso.
    Agora vamos ao restante do texto... tudo o que acontece hoje é resultado da falta de uma pré-estrutura para formação de um país, falta de crença dos nossos queridos colonizadores que a Ilha Vera Cruz se tornaria um páis emergente.
    Não digo apenas em relação à deficiência econômica e social brasileira, mas digo em relação à deficiência climática mundial, em relação às falhas e crueldades de nós, humanos.
    Infelizmente - e odeio dizer isso - estamos colhendo o que plantamos e agora não há mais tempo.
    Não acredito em uma melhora ou em uma evolução para melhor, tudo vai piorar até chegar o grande fim.
    No mais, ótimo texto, amiga. Arrasou!
    :*

    ResponderEliminar
  2. Primeiramente, eu sou fã de Legião... inclusive e, principalmente, do Renato Russo e de suas letras impecáveis.

    Ê, mente brilhante! Engraçado como em uma sociedade altamente mais reprimida - aparentemente - do que a que vivemos hoje, existiam tantos manifestos... e hoje, o que somos hoje?! Os jovens de hoje... a "democracia" é tal que nos deixa mais alienados.
    E nós? Ah! Nós só queremos orkutar. =]
    Que ironia!

    Quanto as palavras do teu texto, vou ser bem sincera...
    não li tudo. Contudo, do pouco que li, gostei.

    Valeu a análise! Valeu a escolha da música!

    Tenho que ir... grande abraço!

    ResponderEliminar
  3. acho que, não só o brasileiro que faz protesto em frente ao prédio da Isabela Nardoni e vai a treinos de times de futebol no meio da tarde quando poderia estar trabalhando (sério, não me conformo com isso), mas todo ser humano tem o mundo que merece.

    Quem está no poder, está nem ai, quem não está, também só se preocupa com o próprio umbigo.

    Nunca teremos um mundo melhor, porque nunca seremos melhores.

    beeeeeeeijos.

    ResponderEliminar
  4. *---* Adoro essa música, as letras deles são muito lindas..

    Ehh verdade..

    Ficou mutio bom o seu texto ^^

    Nem sei o que falar..

    Bjuss
    Tii

    ResponderEliminar
  5. Viva a Renato Russo, cara eu falo aos quatro ventos que se eu pudesse fazer um pedido pediria para um dia poder cv com Renato Russo, queria ter conhecido ele cara! e como ele diz: os bons morrem jovens.
    beijos

    ResponderEliminar
  6. Esse egocentrismo que você citou aí, acredito eu, leva à algo pior ainda: inércia. Só assistimos o mundo desabar, sem nem piscar. E quando começa o show do intervalo, a gente vira pro lado e começa a conversar sobre o paredão do BBB. Somos um bando de inertes, só esperando o dia em que não existirão valores, relacionamentos, nada. Nosso problema é sempre aceitar, sempre concordar em deixar tudo se tornar banal. Nada nos choca mais, estamos acostumados com esse mundo frio e egoísta.
    Será que ainda existe saída? Gostaria de acreditar que sim, mas as evidências estão aí.

    :* e parabéns pelo ótimo texto. Reflexão e protesto é o que nos falta.

    ResponderEliminar
  7. Oi Naty,

    Me adiciona no msn que eu te explico!


    Um beijo!!!!


    daniele.cabrera@hotmail.com

    ResponderEliminar
  8. 'Egocentrismo, essa é a palavra chave da contemporaneidade'

    Acho incirvel como quando venho aqui,encontro sempre as palavras certas.

    ;**

    ResponderEliminar
  9. Concordo com você, as letras do Renato são incrivelmente atuais... Eu particularmente viajo na poesia dele!

    Mas, falando do tema, acho os problemas são sempre os mesmos: desigualdade, desrespeito, preguiça, violência. Na verdade, o Brasil já teve um início torto: foi explorado e só depois de muitos anos passou a andar com as próprias pernas. Na verdade, somos um país jovem e, acredito, temos um brilhante futuro!

    Beijos, querida!

    ResponderEliminar
  10. poxa ótima reflexão à luz de legião urbana...
    Complicado mesmo, se mexermos no vespeiro do mundo o que sai de problemas não está esscrito, nosso lance é tentar ir dando remendos por aí, o máximo que conseguirmos, rs
    bons dias

    ResponderEliminar
  11. que bom que gostou do texto =)
    postei agora pouco e só agora percebi que nosso título é parecidíssimo haha
    :*

    ResponderEliminar
  12. Lucilene2.3.10

    Olá, querida! Devo primeiramente pedir desculpas por ficar tanto tempo sem passar por "aqui". Já que falou sobre egoísmo neste texto, devo dizer que me sinto até mal por ter me deixado levar por esse "sentimento" durante tanto tempo, pensando apenas em mim e não dando a devida atenção para você. O seu blog é um retrato virtual do seu talento, um dom maravilhoso de Deus. De fato, as pessoas hoje - e me incluo nesse grupo - preocupam-se demais consigo mesmas, em detrimento às causas alheias. Sentimos preguiça, medo, vergonha, desinteresse, sei lá... Obrigada por me fazer refletir sobre isso. Beijo grande!!!

    ResponderEliminar
  13. Lucas Smaniotto12.4.10

    Uma frase da contemporaneidade diz que não podemos servir a Deus e ao Dinheiro. E qual a conclusão que o egoísta tira a não ser a de que, obrigatoriamente, serviremos apenas ao Dinheiro, já que Deus é um sonho antigo, ''uma palavra chave da antiguidade''. Nessa escolha egoísta, não há nada moralmente errado, afinal como já sabemos, não existem fenômenos morais, certo? De outro modo, conforme diz Renato, e deve ser verdade, que a dor é o produto do desejo. Sendo assim, se desejar causa dor no homem, por que o homem deseja se a dor não lhe agrada? Desejos, como por exemplo, o de 'mudar a sociedade' devem causar dor. Logo, conclui-se que não faz sentido querer ''mudar as coisas erradas'' a não ser que você queira sentir dor. Como também, ''as coisas erradas'' não são necessariamente erradas, elas são negativas a partir do contraste causado diferença. Dissertações infantis não resolveram problema alheio. Alimento pra cabeça não vai matar a fome de ninguém. Minha proposta: dê tudo aos pobres, assim você também fica pobre e os outro é que terão de se preocuparem com você.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo